domingo, 21 de agosto de 2011

Actualidades

Meus caros amigos este blog afinal ainda mexe, pouco porque o tempo de férias e a minha recuperação a hábitos antigos não ajuda a grandes esforços. O Thor VI passou a estar atracado na Marina do Parque das Nações, em resultado da agressividade comercial e simpatia da sua direcção, e está a passar por uma cura de emagrecimento - é impressionante as "toneladas" de coisas que tenho retirado do barco - e por uma profunda limpeza, bastante necessária. Dentro de alguns dias estará novamente em condições para regressar ás lides. Entretanto e como o prometido é devido, um dos "prémios" do concurso da hora chegada a Sta. Lúcia ganho pelo Bernardino já foi entregue. Encontrei-o na Marina do Parque das Nações onde ele estava como tripulante do lugre Santa Maria Manuela. Foi um prazer termo-nos conhecido. O outro vencedor terá o seu prémio numa das próximas tertúlias. Beijinhos e abraços

domingo, 26 de junho de 2011

Daily Log - Os Finalmentes

Graças ao esforço, dedicação e entusiasmo de tantos amigos - permitam-me que cite o Eduardo Almeida Faria e a "gente" da ANC - a chegada a Oeiras foi, para mim uma enorme e agradável surpresa perante a presença de tanta gente amiga que aguentou estoicamente o atraso do Thor VI. O tempo não ajudou nada pois o vento e o mar estavam muito duros e o Thor ainda se "aleijou" nestas ultimas milhas, nada de grave mas a vela grande e a capuchana ficaram com danos. Mas para reencontrar tantos amigos valeu bem a pena forçar a chegada e tentar cumprir com o programa que o Eduardo Almeida Faria com tanto entusiasmo tinha delineado. Uma agradável surpresa. Para quem não viu aqui fica o link da reportagem da TVI
http://www.tvi24.iol.pt/aa---videos---sociedade/navegador-rui-evora-soares-tvi24/1262694-5795.html

terça-feira, 21 de junho de 2011

Daily Log - ARC EU Final

E o ARC EU acabou e com ele acabou também esta participação do Thor VI nos eventos do WCC. Participámos no ARC 09 (travessia do Atlântico Norte de Las Palmas a Sta. Lúcia) no WARC e agora ARC Europe (de Tortola nas BVI até Lagos). Foram cerca de 35000 milhas de navegação por esse mundo fora, com dias bons e maus, momentos fantásticos e outros, nem por isso . Apesar de tudo acho que foi uma excelente experiência de que guardo excelentes recordações e amizades. Regresso mais rico de experiência, com novos amigos, com uma nova visão do mundo, da vida, da importância das coisas. E se tudo vale a pena esta aventura valeu bem a pena e a todos quantos de uma forma ou de outra me ajudaram ou me apoiaram os meus agradecimentos. Sem vós isto não seria possível. Obrigado. Entretanto o Thor VI já está em Sines. No Domingo depois do encerramento do ARC EU e ao consultar a meteorologia descubro que o vento iria voltar a aumentar pelo que decidimos iniciar de imediato a viagem para Sines. Assim logo na 2ª feira saímos de Lagos bem cedinho com destino a Sines onde chegámos já noite cerrada. Já não me lembrava quão chato é este trajecto! Agora planeamos sair daqui na 5ª Feira bem cedinho para passar o Espichel no início da tarde ainda com o vento aceitável. Neste ultimo troço e apesar das dificuldades logísticas gostaria que os tripulantes que me acompanharam na realização desta aventura - António Pinharanda, Eduardo Solano de Almeida, João Sá da Bandeira e Tozé Osório - me fizessem companhia. Eu sei que é complicado pois teriam de estar em Sines cerca das 05 da manhã de 5ª feira - não tenho grande capacidade para vos dar alojamento na noite anterior mas alguma coisa se há-de arranjar - mas se assim o entenderem por mim será um enorme prazer. De Sines beijinhos e abraços.

sábado, 18 de junho de 2011

Daily Log - ARC EU 24

Eram 17:31 de 6ª feira quando o Thor VI cruzou a linha final do ARC Europe concluindo esta maravilhosa aventura. O Algarve recebeu-nos de uma forma agressiva com uma ventania na casa dos 35 (trinta e cinco!) nós desde S. Vicente. Na realidade até ao lavar os cestos é vindima e estas ultimas milhas foram um verdadeiro lavar dos cestos ou melhor do barco. Depois foi a agradável surpresa dos amigos que nos esperavam, os reencontros, a continuação do jantar interrompido quase há dois anos atrás, o telemóvel que não parou de tocar enfim foi !, é bom voltar a casa. Agora falta a ultima tirada e agora sim realmente a ultimas milhas e espero que esta ventania louca acalme e nos deixe cumprir o nosso planeamento. Aceitem os agradecimentos deste, agora, Cruzeirista encartado. Beijinhos e abraços e até 5ª Feira em Oeiras. 

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Dayli Log - ARC EU 23

Depois de uma noite muito radical estamos a poucas milhas do mar do Algarve,cumprindo os ETA´s. Na realidade o Atlântico rendilhado de cristas brancas não quiz deixar os seus créditos por mãos alheias e tem abanado o Thor de toda a maneira e e feitio com grandes surfadelas, grandes derrapagens, grandes acelerações e por aí fora e com isso amassou-nos o corpinho todo, que era aquilo que eu estava mesmo a precisar. Foi para não perder a mão ! Aceitem um beijinho deste que se assina Cruzeirista encartado

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Dayli Log - ARC EU 22

As calmarias acabaram, finalmente. Depois de uma noite de calma absoluta em que abri e fechei a genoa tantas vezes que até magoei um músculo lombar, já no início da madrugada o vento começou a refrescar e acabou establizado a Norte, na casa dos 15 nós. Aí o Thor acordou e arrancou direito a S. Vicente pelo que temos andado bemzinho durante todo o dia. Com isto tudo continuamos a prevêr passar S. Vicente/Sagres por volta das 14:00/15:00 e chegar a Lagos cerca das 17:00/18:00 horas locais. Amanhã de manhã actualizo a informação. Até lá cuidem-se que nós vamos atacar a ultima centena de milhas.

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Dayli Log - ARC EU 21

Faltam cerca de 48 horas para chegar a Lagos, mas a progressão tem sido muito lenta pois o vento não há meio de aparecer e pelas previsões que acabei de receber vamos continuar com uma alta aqui em cima e dos "portuguese trades" nada. Será que isto anda tão mal que até o vento anda por baixo ?; nós continuamos empurrados pelo fiel yanmar e esperando que com a aproximação da costa alguma coisa aconteça. Por outro lado temos tido uma viagem absolutamente calma onde a monotonia impera para além das rotinas habituais. Vá cuidem-se que eu já não sei o que dizer mais.

terça-feira, 14 de junho de 2011

Dayli Log - ARC EU 20

Hoje foi o dia do meio ou seja estamos sensivelmente a meio do trajecto para Lagos, faltando pouco mais de 400 milhas. Foi portanto um dia sem graça, cinzento porque o sol anda escondido atrás de uma camada de nuvens, com pouco vento não dando para o Thor andar como desejaríamos. Mesmo assim vamos a cumprir o planeado e era importante chegar ao meio hoje pela noite e isso está conseguido. Amanhã ou mesmo hoje durante a noite devemos começar a apanhar os "portuguese trades" do Norte e com mais intensidade que este Sudoeste que nos tem acompanhado. Se assim for é uma corridinha até S. Vicente. Vamos ver, mas para já o vento já rodou para WNW embora ainda esteja muito fraquinho. Nós vamos dando notícias.

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Dayli Log - ARC EU 19

Nas primeiras 24 horas deste trajecto fizemos cerca de 150 milhas o que está de acordo com o planeado e hoje vamos com cerca de 1 hora de avanço. Quero eu dizer com isto que as previsões de chegada na 6ª feira durante a tarde mantêm-se - à atenção do Zé Cordeiro e companhia - mas iremos actualizando a situação pois ainda faltam cerca de 550 milhas. O dia foi cinzentão pois estivemos quase sempre dentro de bancos de nevoeiro, sem sol e com uma humidade tremenda. Agora já ao fim da tarde o sol lá levou a melhor e conseguiu dar um ar de graça - pouca - mas sempre foi melhor que nada. Ainda por cima está um frio de rachar e eu que julgava, com o dia de ontem, que tinha chegado ao Verão, afinal vou ter de esperar mais um pouco. Cuidem-se.

domingo, 12 de junho de 2011

Dayli Log - ARC EU 18

E o Thor está a caminho de Lagos. Saímos de Vila Do Porto em Santa Maria pelas 9 da manhã, num ritmo lento porque o vento está muito fraco. O Sudoeste bom passou ontem e o de hoje está para o fraco. Mesmo assim conseguimos fazer cerca de 75 milhas nas primeras 12 horas que é o que necessitamos para cumprir o planeamento. Entretanto já podem acompanhar de novo o Thor no "fleet viewer" do ARC Europe no site do WCC, pois os "trackers" foram de novo instalados (estiveram em manutenção durante o cruzeiro pelos Açores). Entretanto o tempo e o mar estão excelentes - há algum tempo que não tínhamos um dia tão agradável - e as previsões dão-nos umas boas esperanças. Vamos ver se se confirma. Do meio do Atlântico beijinhos e abraços.

sábado, 11 de junho de 2011

Dayli Log - ARC EU 17

O Thor chegou a Santa Maria, Vila do Porto ontem às 11:30 concluindo a regata Açores Oriental, mas depois de mais de 50 milhas a fazer andar o barco com cerca de 5 nós de vento acabámos por "estacionar" a cerca de 3 milhas da linha de chegada, quando o vento desapareceu por completo. Aí fartei-me e liguei o motor, o que foi pena depois de uma noite inteira de "paciência"  mas já não havia nada a fazer. Esta regata tem, de acordo com as instruções, 50% de parte desportiva e 50% de social, a parte desportiva foi uma "paciência"- apenas 4 dos 12 barcos conseguiu terminar - a parte social um sucesso porque esta gente é simpática e faz tudo para ser agradável e receber bem. Mas este cruzeiro pelos Açores está a terminar e amanhã pelas 09:00 partimos para a ultima perna deste ARC Europa com destino a Lagos, finalmente. As previsões são de um Sudoeste bom para uma travessia agradável, vamos ver se se confirma. Nós vamos actualizando as notícias, mas a chegada a Lagos está, para já, para 17Jun cerca das 17:00 locais. Cuidem-se

quinta-feira, 9 de junho de 2011

Dayli Log - ARC EU 16

O Thor está em Ponta Delgada onde chegou ontem no início da manhã depois de uma bela noite de vela, é que já tinha saudades de um boa velejada na alheta porque ultimamente tem sido tudo bolinas ou próximo. Depois de algum descanso, porque isto de sistematicamente ter noites brancas cansa um bocadinho, aproveitamos a oportunidade  para reencontrar amigos e de preparar o próximo troço, uma regara organizada pelo Jornal Açoriano Oriental até Santa Maria e que terá lugar esta noite (mais uma!) com partida às 19:00 locais. Infelizmente as previsões são para ventos muito fracos (2 nós) e portanto logo se verá o que vai acontecer mas de uma forma ou de outra o Thor VI sai hoje para Santa Maria onde se concluirá este cruzeiro pelos Açores e dia 12 de Junho parte para a ultima perna deste ARC Europe com destino a Lagos onde planeamos chegar a 17 durante a tarde. Cuidem-se.

terça-feira, 7 de junho de 2011

Dayli Log - ARC EU 15

A estadia em Angra está a terminar já que dentro de 2 horas saímos para Ponta Delgada. Foram bem agradáveis estes 2 dias, a cidade é bonita, bem arranjada e muito rica culturalmente. O passeio que foi patrocinado pelo turismo local foi  muito interessante granjeando o interesse de todos, já a corrida de touros à corda não suscitou tanto agrado. Este cruzeiro é uma boa forma de divulgar os Açores que o World Cruising Club  impulsiona com o apoio das autoridades regionais e com vantagens para todos. Agora vamos fazer 90 milhas até Ponta Delgada onde devemos chegar durante a manhã de 08 Jun. Entretanto, na Horta acabei por não me encontrar pessoalmente com o Genuíno Madruga, apenas falámos pelo telefone, mas ficou assente que nos vamos encontrar em Lisboa no lançamento do seu livro que terá lugar no dia 27 de Junho no Museu da Marinha. Logo que tenha mais pormenores divulgo mas é um acontecimento a não faltar, tomem nota ! Beijinhos e abraços.

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Dayli Log - ARC EU 14

O Thor está em Angra, onde chegou ontem ao fim da tarde depois de um dia inteiro de baloiço neste mar dos Açores. Foi uma estreia este Açores "by sea" com passagem pelo canal Pico/S. Jorge e a Terceira vista do mar e apesar do pouco vento e do mar trapalhão e bastante desconfortável foi um dia bem engraçado. Entretanto o planeamento dos eventos finais vai ser ligeiramente alterado já que sendo o dia 23 de Junho, 5ª Feira, feriado nacional, foi decidido que o Thor VI chegará nesse dia durante a tarde ao Porto Recreativo de Oeiras, de onde parti e de quem recebi sempre um apoio inestimável. Quanto à chegada a Lagos vou tentar chegar no dia 17 de Junho ao fim da tarde, o que depende das condições de navegação ou, se por acaso não conseguir irei atrasar a chegada para 18 de manhã. Cuidem-se.

sábado, 4 de junho de 2011

Os eventos finais

O Thor vai iniciar um cruzeiro pelos Açores partindo da Horta para Angra do Heroísmo a 05 de Junho pelas 06.00, devendo chegar pelo fim da tarde. Depois a 06 Jun há uma visita a Angra, durante a manhã e uma tourada tradicional nas ruas de Pico da Urze, no fim do dia. A 07 Jun saímos para Ponta Delgada/S. Miguel pelas 18:00 para mais uma "night sailing". A 09 Jun partimos de Ponta Delgada para Vila do Porto/Santa Maria participando na Regata Açoriano Oriental e como a partida é ao fim da tarde, faremos mais uma "night sailing". Finalmente a 12 de Junho pelas 09:00 será a partida para a ultima etapa deste ARC Europe com destino a Lagos. Serão cerca de 790 Nm pelo que planeamos chegar a 17 de Junho ao fim da tarde ou a 18 pela manhã - o ajuste será feito em rota - para facilitar a vida ao Zé Cordeiro que já assumiu a coordenação dos "eventos" da chegada onde se inclui um jantar na Adega da Marina, que foi "interrompido" a 03 de Nov de 2009. Depois das "sociais" finais do ARC Europe o Thor ficará em Lagos por uns dias e, conforme a meteorologia iremos subindo para Lisboa de forma a chegar a Oeiras no Sábado 25 de Junho durante a tarde (alguém quer assumir a coordenação da chegada a Oeiras?). Beijinhos e abraços

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Dayli Log - ARC EU 13

Aqui estamos de volta depois de uma ausência técnica bem colmatada pela Sra. Armadora. Eram 16:37 de 01Jun quando o Thor chegou, finalmente, à Horta depois de um "night sailing" desde as Flores. Foram 120 milhas bem "chatinhas" com uma mareta pela proa de dar cabo do juízo a um santo e depois eu também já estou cheio de barco e de mar! Mas o importante é que chegámos e que a passagem pelas Flores foi muito gira e foi uma boa forma de voltar a pôr os pés em terras portuguesas. Nestes 2 dias na Horta temos tentado resolver as avarias - e esta etapa foi bastante complicada que obrigou a uma forma diferente de gerir o barco, mas foi uma excelente experiência !! - o que já quase que conseguimos. O gerador não tem solução, mas os outros problemas estão quase resolvidos  e o Thor vai voltar em pleno. A recepção aqui foi bastante agradável, as pessoas são de uma tremenda amabilidade e sempre prontas a ajudar e a marina da Horta é um "mar de embarcações" de todas as formas e feitios,  uma verdadeira metrópole nautica. Nesta altura do ano tudo quanto é barco que vem para a Europa passa por aqui.  Talvez por isto mesmo estranhámos ver que a nova marina que está a ser feita nas Flores - excelente na qualidade dos materiais e na localização - tenha sido dimensionada para barcos pequenos e onde um 40 pés dificilmente entra. Quem "inventou" o Portugal dos pequeninos lá tinha as suas razões !!! No Domingo 05Jun partimos para a Terceira onde iremos estar por 2 dias, mas até lá voltaremos a dar notícias. Cuidem-se

terça-feira, 31 de maio de 2011

Daily Log - ARC EU 12

O Thor "aterrou" nas Flores às 13h00 de hoje, 31 de Maio, e zarpou pelas 16h00. Até à Horta são cerca de 120 milhas pelo que está prevista a chegada amanhã pelas 15 horas. No entretanto deu tempo para almoçarem (bife e batatas fritas) e reabastecer de combustível. O tempo continua excelente, mas quando o sol desaparece já arrefece muito e o Oceano Atlântico parece um lago "estanhado". Ao fim de 17 meses a navegar pelo mundo, o Thor regressa a terras portuguesas!
Ana

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Daily Log - ARC EU 11

Por ter pouco combustível e por prudência, o Rui está a dirigir-se às Flores para reabastecimento. A avaria do gerador com a consequente necessidade de repôr a carga nas baterias utilizando o motor, bem como a "miséria" de tempo que encontraram nesta longa etapa, conduziram a um consumo de combustível superior ao normal. Quase que dava, mas pelo sim pelo não, o Thor irá primeiro passar pelas Flores e abastecer-se de algum combustível para fazer o resto do percurso com mais segurança. Para obter informações sobre as Flores e as condições de abastecimento, o Rui falou telefonicamente com o Genuíno Madruga (para quem não sabe por não ser do meio, é um famoso e destemido navegador açoreano que já deu 2 voltas ao mundo em solitário) e ficou muito sensibilizado com a receptividade e a disponibilidade que lhe foi demonstrada. Para além das informações pretendidas, o Genuíno Madruga dizia-lhe que já estava à espera do Thor na Horta.  Com esta alteração de rumo, a passagem pela pequena Marina das Lajes das Flores deverá acontecer pelo meio do dia de amanhã, 31 de Maio, estando a chegada à Horta prevista para a tarde de 1 de Junho.  De resto, tudo bem a bordo.
Ana

sábado, 28 de maio de 2011

Daily Log - ARC EU 10

O Thor lá vai devagarinho a caminho doa Açores. Já só faltam cerca de 400 milhas, mas o vento tem estado de proa o que tem obrigado a andar para baixo e para cima à procura do melhor ângulo para poder progredir. O vento é muito fraquinho, mas estando de frente e com algum mar, não conseguem andar para a frente. Mas o vento está praticamente a desaparecer por causa duma alta ali situada e diz-me o Rui que agora já está aproado aos Açores. Assim vai demorar mais um dia ou 2 do que estava previsto e só lá para 4ª feira deverá chegar à Horta. A bordo continua tudo bem e a moral continua em cima.
Ana

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Daily Log - ARC EU 09

Muita chuva, pouco vento, foi assim que o Rui me descreveu o dia de hoje. Chuva, chuva, chuva, já está outra vez tudo molhado a bordo, e o Thor a progredir pouco. De resto tudo normal, mas ansiando pela chegada a terra e aos Açores.
Ana

domingo, 22 de maio de 2011

Daily log - ARC EU 08

O Thor fez 173 milhas nas últimas 24 horas, diz o Rui que levados ao colo por uma corrente que chegou a ser superior a 1,5 nós. As restrições de água e de energia mantêm-se, mas está tudo bem a bordo. O Rui diz que problema que não se pode resolver não é problema....e assim continuam em direcção aos Açores.
Ana

quinta-feira, 19 de maio de 2011

O Thor está sem comunicações de e-mail no mar pelo que as actualizações ao Blog serão feitas através de contacto telefónico. O Rui e o Luca estão bem, o gerador tem uma avaria, parece que grave, mas estão a progredir bem e com bom tempo.
Ana

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Daily Log - BRD 03

As despedidas estão feitas, o "skipper briefado", o Thor reabastecido e bem - o supermercado é excelente mas bastante caro - o planeamento está feito (a táctica é segredo!), as previsões meteorológicas estudadas (e parecem ser boas) e nós danadinhos para começar a andar. A partida para a ultima grande etapa será a hoje 18Maio às 13:00 locais (17 em Lisboa) e não às 12 como costuma ser, o sistema automático de controlo da posição está novamente instalado (a actualização será de 4 em 4 horas) e nós prevemos chegar aos Açores lá para o fim do mês. Até lá cuidem-se que nós vamos dando notícias, diariamente ou sempre que for possível. Beijinhos e abraços. 

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Daily Log - BRD 02

No news, good news! Pois é não há muito a dizer, estamos nos preparativos para retomar o caminho, mas sem grandes novidades. Temos feito algumas revisões e limpezas no barco, já reabastecemos de combustível, amanhã iremos ao supermercado e pouco mais há a fazer. Ontem, Domingo houve o "prizegiving" da 1ª etapa e o Thor, para não fugir à regra, fez um terceiro lugar na geral! Entretanto os barcos da Atlantic Cup já saíram e nós sairemos na 4ª Feira pelas 12:00 (16:00 em Lisboa) para a ultima grande tirada, 1800 milhas. As previsões são de bom tempo, pouco vento de Sudeste (nada mau!), pelo menos na parte inicial, mas não se esperam grandes novidades. Cuidem-se.

sábado, 14 de maio de 2011

Daily Log - BRD 01

O primeiro dia nas Bermudas foi dia de tarefas domésticas. Ficámos no barco, ancorado na baía de St. George, pois o pontão do Dinghy & Sports Club não é utilizável com vento - a amarração é a ré para a parede e ferro na proa - e o nosso dinghy estava arrumado e nós sem vontade de o desarrumar. Assim foi dia de limpezas e secagem do barco em geral que o vento que se fazia sentir bem ajudou. E foi também dia de descanso, que bem precisávamos. Ontem, 6ª Feira, 13 Maio e como o vento não baixou resolvemos aprontar o dinghy e fomos a terra, reconhecendo o pontão do Dinghy & Sports Club ( www.stgdsc.bm), que não nos agradou e visitando St. George´s. Esta é uma pequena cidade bem "british" - almocei num pub magnifico - muito engraçada e limpa e muito cara, que é uma característica das ilhas e desta em particular. Para saber mais sobre estas ilhas vejam http://www.bermuda4u.com/ e vão encontrar coisas bem interessantes onde há uma colónia portuguesa bem importante - e minis Sagres - e onde os telhados são em concreto à prova de furacão. Entretanto e com o vento que se tem feito sentir, os barcos da Atlantic Cup que é uma outra organização do WCC que faz Nanny Cay/Bermudas/Hampton, Virginia e que deveriam sair daqui antes de nós chegarmos, só vão sair hoje Sábado 14 Maio o que transformou esta baía num local saturado de barcos tornando tudo um bocado complicado. Hoje vamos reabastecer de combustível que por ser sem taxas tem de ser num local específico e dum auto-tanque. Vai ser um barco de cada vez dando muito trabalho aos "yellow shirts" para planear tudo como deve ser e satisfazer toda a gente o que não é nada fácil. Vai ser um dia longo. Cuidem-se que nós vamos dando notícias.  

Daily Log - ARC EU 07

Eram 23:58 hora das Bermudas ou 03:58 em Lisboa quando o Thor VI, finalmente, cruzou a linha de chegada e eram 3 da manhã, já com a alfandega feita - que aqui funciona 24 horas - quando o ferro prendeu e nós conseguimos parar respirar. O primeiro troço deste ARC Europe estava concluído e nós podíamos finalmente descansar destes 3 dias de uma louca montanha russa. A travessia do Indico ficou como referência de situações difíceis, pois estes 3 dias não lhe ficaram atrás porque agora tínhamos o vento e o mar (e que mar!) no sector da proa o que torna tudo mais difícil e duro. Foi uma experiência "pesada" daquelas que por vezes me fazem "perguntar", afinal que faço eu aqui ?!. Mas chegámos a horas sem avarias nem estragos e agora fundeados na baía de St. George, ainda com bastante vento e alguma chuva mas depois de uma meia dúzia de horas dormidas, com o barco um pouco mais arrumado e um excelente pequeno almoço, já tudo parece mais apetecível e fica como mais um desafio vencido! Venha o resto que nós estamos prontos e temos um barco fantástico. Das Bermudas beijinhos e abraços da tripulação do Thor VI.

terça-feira, 10 de maio de 2011

Daily Log - ARC EU 06

Afinal as previsões melhoraram significativamente e apesar de continuarmos a ter bastante vento já não é o "disparate" que se projectava ontem. Tivemos uma noite bem mexida, mas melhor que o esperado, com alguma chuva e bastante frio - as temperaturas baixaram consideravelmente e a água do mar está já a 21º - exigindo algo mais que a t-shirt e os calções, sinal que estamos definitivamente a regressar a casa. A manter-se o andamento actual devemos chegar amanhã durante a tarde. Beijinhos e abraços.

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Daily Log - ARC EU 05

E a fome deu em fartura! Desde o meio da noite de Domingo o vento começou a subir e agora está estabilizado nos 20 nós, com mar a condizer, e a calmaria de ontem deu lugar a uma viagem radical. As previsões para os próximos dias não são melhores em resultado de uma baixa muito cavada que está a Norte das Bermudas e que irá provocar ventos fortes. No entanto há outras informações de diferentes origens que não confirmam isto. Vamos ver o que vai dar, mas pelo sim pelo não preparámos o barco "prá porrada" e vamos aguardar pela confirmação das previsões. E eu que queria uma viagem calma e serena... Beijinhos

Daily Log - ARC EU 04

Uma calmaria absoluta, com mar estanhado e zero nós de vento, são as condições que temos desde o meio da noite. Ontem ainda andámos bem à vela, mas depois as condições foram-se deteriorando e agora andamos a motor se queremos sair daqui. Vamos ver se "a fome não dá em fartura" pois as previsões para as próximas 48 horas apontam para uma rotação do vento para SW e, nas proximidades das Bermudas, ventos bastante intensos. Mas para já a calma impera e com isto nós voltámos a fazer apenas cerca de 135 milhas nas últimas 24 horas. Mas "veleiro vai devagar" diz uma musiquinha que uns nossos amigos brasileiros nos ofereceram portanto, comemos e dormimos, aguardando melhores dias. Entretanto no site do ARC Europe, na visualização da frota, quando os veleiros estão muito próximos podem ficar uns debaixo dos outros e haver alguma dificuldade em se identificarem, julgo que é isso que está a acontecer com o Thor e o Lady EV que desde o início está aqui ao lado. E do Thor VI é tudo por agora. Cuidem-se. .

sábado, 7 de maio de 2011

Daily Log - ARC EU 03

O 2º dia de viagem amanheceu radioso com um sol magnífico, muito pouco vento (não se pode ter tudo pois não?) e mar calmo. Uma manhã excelente depois de uma noite demasiado calma em que o vento caiu por completo deixando-nos à mercê do Yanmar. Ainda cairam uns pingos duns aguaceiros dispersos que por aqui andavam, mas foi coisa pouca. Com estas calmarias todas acabámos por fazer umas míseras 133 milhas o que não é nada que não estivesse planeado, mas assim é uma grande pasmaceira. Hoje vamos tentar pescar para passar melhor o tempo e enriquecer a dieta, apesar da "vida" que se vê ser muito pouca, pois tirando os peixes voadores não há mais nada, excepto muito sargaço à tona de água. Tenham um bom fim de semana.

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Daily Log - ARC EU 02

As Caraíbas ficaram definitivamente para trás, depois de uma partida muito lenta e trabalhosa pois para sair das ilhas, com o percurso que nos deram, foi o cabo dos trabalhos com um vento muito variável e fraco. Foram 3 horas e meia para fazer uma duzia de milhas ! Depois foi o Atlântico, muito sereno, com vento abaixo dos 10 nós e exactamente do sítio para onde queriamos ir. Estamos com uma bolina cerrada mas confortável e esperamos que as previsões se confirmem e que a partir desta noite o vento rode para o quadrante Este e nos dê um seguimento que se veja. O barco está bom, sem problemas, e nós a readquirir rotinas. Thor VI a caminho das Bermudas, over and out.

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Daily Log - ARC EU 01

Faltam pouco mais de 3 horas para que a frota do ARC Europe inicie o troço BVI/Bermudas - o Thor e mais 11 vão sair de Nanny Cay, depois nas Bermudas mais 8 barcos se juntam a nós. Vamos finalmente deixar as Caraíbas e está tudo pronto, visto e revisto. As previsões não são grande coisa, ventos fracos e na proa, mas é o que há, pelo que vai ser um troço longo e trabalhoso. A novidade é que o Thor dispõe agora de um equipamento que faz a actualização da posição de 4 em 4 horas - é o yellow brick já usado no WARC pelos barcos sem Mailasail e que a partir de agora é instalado em todos os barcos - no site do ARC Europe http://www.worldcruising.com/arceurope/viewer.aspx . Assim a posição do Thor é actualizada todas as 4 horas no site atrás e uma vez por dia no site do Mailasail como anteriormente. Nós vamos partir de Nanny Cay pelas 12:00 locais/16:00 UTC/17:00 em Lisboa para fazer 845 milhas (distância oficial) até St. George´s nas Bermudas e tentarei fazer a actualização do blog uma vez por dia. Até lá cuidem-se.

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Daily Log - Caribe 13

Eram 5 da manhã, debaixo de uma valente chuvada quando nos despedimos de Antigua e iniciámos o trajecto para as BVI/Road Harbour - os mais curiosos vão a este site para saber onde e o que são as BVI http://www.britishvirginislands.com/ - onde chegámos hoje às 09:30 da manhã com cerca de 170 milhas feitas com um tempo instável, alguma chuva e um mar chato de atravessado. A novidade do dia foram as baleias que vimos em grande numero e que nos quiseram brindar com uns saltos inolvidáveis. Nunca tinha visto, ao vivo e a cores umas baleias enormes a saírem da água a alturas impressionantes. Um espectáculo inesquecível. Em Road Harbour fizemos o check-in (e o check-out também face à amabilidade do funcionário) num local péssimo pelas ondas e vento que se fazia sentir, mas era o unico sítio autorizado e com esta gente quando uma "autoridade" diz que não, é perda de tempo tentar fazer outra coisa. Assim o Thor lá foi encostado a uma parede tendo saído inteiro mas com marcas de tinta no costado. Nada que uma limpeza não resolva. Mas foi um susto! Depois viemos para a marina de Nanny Cay onde tínhamos lugar reservado, fizemos o check-in do ARC Europa e as verificações de segurança. E agora de banhinho tomado e já mais fresquinhos vamos ao BBQ de boas vindas do ARC. Beijinhos.

sábado, 30 de abril de 2011

Daily Log - Caribe 12

Mais uma festa que está no fim. Ontem 6ª feira foi a entrega de prémios da 44ª Antigua Sailing Week e com isto se acabou a semana. Foi bonito mas, dizem, não tão bom como nos anos anteriores - menos barcos menos gente e essencialmente menos super-Yacht, daqueles de encher o olho - a crise anda por aí, sem duvida. Fotos, vídeos (alguns fantásticos) e notícias em http://www.sailingweek.com/v3/index.php .
Nós estamos de partida, já com o check-out feito, saímos na madrugada de Sábado para Domingo numa directa para Road Harbour em Tortola, para chech-in, seguindo depois para a marina de Nanny Cay onde ficaremos até 05 de Maio, dia do início do ARC Europe. Entretanto hoje pela hora de almoço chegou aqui a Falmouth Harbour o "Falcon Maltese" provavelmente um dos super-yacht mais impressionantes do mundo. Face ao tamanho e também porque a baía está muito cheia, entrou de marcha à ré porque cá dentro não podia dar a volta. Um mimo e para nós a oportunidade única de ver ao vivo e a cores um navio fantástico.

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Daily Log - Caribe 11

A 44ª Antigua Sailing Week é um espectáculo de gente, de barcos, de festa etc., etc. Esperavam ter aqui os melhores veleiros do momento, mas não estão, apesar de haver por aqui barcos de tirar o fôlego a um mortal, aliás parece que este ano está inferior ao ano passado mas mesmo assim está um belíssimo evento náutico. A nós foi-nos proposto integrar a tripulação do Grand Filou que também por aqui está e a competir. Na 2ª feira não foi possível porque tinha de fazer a "alfândega" do Thor - mas o Luca foi - e na 3ª feira estava demasiado vento (pareceu-me) para uma tripulação "naif". Na realidade quer num dia quer noutro a "lenha" (coisas rasgadas ou partidas) no barco foi muito grande (spi, adriças, vela grande, etc.) e assim não me parece seguro nem interessante. Não é a minha forma de tratar estas coisas. O tempo também não tem ajudado muito pois está muitíssimo vento e chove com muita frequência e intensidade. Hoje 4ª feira, dia de descanso das regatas e portanto dia de festas mas está um tempo impossível que tira graça a tudo. Ontem jantámos aqui no barco com o Emilio e o António do Kalioppe e hoje retribuíram-nos com uma paelha. É a nossa festa! Beijinhos e abraços.

domingo, 24 de abril de 2011

Daily Log - Caribe 10

Acordei com as badaladas de um sino de igreja. Eram 7 da manhã. Querem coisa mais bucólica? Pouco depois chegou o padeiro com croissants e uma baguette, ou seja um parceiro que ontem aqui apareceu oferecendo os seus préstimos. Oito da manhã pequeno almoço tomado, ferro em cima - agora com o guincho novo é uma limpeza - e o Thor a navegar em direcção a Antigua, numa bolina larga com cerca de 15 nós de vento. Eram 14:30 e chegámos a Antigua, Falmouth Harbour cheio que nem um ovo, com barcos por tudo quanto é sítio e que barcos! Não foi fácil arranjar um lugar para o Thor. Estão aqui, à vista, o Kalliope, o Brown-eyed girl e o Wild Tigres e mais uns quantos que disseram que vinham. É o acontecimento da "saison nautica" que está prestes a terminar. Mais notícias oportunamente. Cuidem-se

sábado, 23 de abril de 2011

WARC ainda ...

A descrição do acidente do Basia pelo skipper. Impressionante!
Michael Neumann describes how their Privilege 445 catamaran was dismasted after a collision with a 200 meters long ship.
http://www.youtube.com/watch?v=tSzfsUwJPqk&feature=related

Daily Log - Caribe 09

Mais um dia de passeio para chegar a Deshaies um pequeno local de fundeio bem abrigado na zona norte da Basse Terre de Guadalupe. Continua a ser "território francês" mas hoje é só um "night stop"e não vamos a terra porque não queremos fazer alfândega. Decidimos sair mais cedo de Les Saintes dividindo o troço para Antigua em dois, hoje ficamos aqui e amanhã faltam-nos 41 milhas para Falmouth Harbour. Andamos numa espécie de cruzeiro de férias com toda a calma do mundo e a fazer render o tempo que nos falta para chegar a Nanny Cay e iniciar o ARC Europa. Beijinhos e abraços 

sexta-feira, 22 de abril de 2011

Daily Log - Caribe 08

A ilha de Les Saints afinal é uma boa surpresa - o Graham bem me tinha recomendado - a lingua é o francês, a moeda é o Euro, a cor predominante é o branco ou mesmo ligeiramente moreno (mas não muito!) e é afinal um local turístico com muitos ferrys de ligação a Guadalupe. À primeira vista lembrou-me a Culatra, mas em grande e com a organização francesa com uma grande actividade de tours de visita à ilha , aluguer de scoters, pensões e "chambres para alugar, imensos restaurantes, supermercados, "baguetes" etc. É assim como que um cheirinho a civilização à moda europeia coisa que não sendo nada de extraordinário, sempre é um bocadinho diferente do que estamos habituados e soube bem, excepto nos preços que são também á europeia. O local de fundeio é bom com a água muito transparente (e quente) pelo que vamos aqui ficar mais um dia, partindo para Antiqua no Domingo bem de madrugada. Cuidem-se.

WARC ainda...

Os meus bons amigos do Eowyn que receberam merecidamente o " Spirit of World ARC" pelo empenho e apoio no acidente do Basia e do Bristol Rose, não podiam deixar de me "mimar" com a publicação da "história do Dinghy". Tem graça e eu fico eternamente agradecido com a amizade que me dedicaram. É bom ter amigos assim. Divirtam-se em :
Michael and Graham of Eowyn talk about their unfortunate rival, the Portuguese.
http://www.youtube.com/watch?v=yO1Lgldj1DA

Daily Log - Caribe 07

Estamos na Ilha Des Saintes um conjunto de pequenas ilhas situadas a Sul de Guadalupe e pertencendo a esta e logo territorio francês. Chegámos aqui ao fim da tarde, tendo saído de Saint-Pierre a Norte de Martinica ainda o Sol não tinha nascido. Foi um passeio calmo e sereno com pouco vento e mar quase estanhado. Por aqui vamos ficar 2 dias pois a "vila" merece ser visitada e tem um sino que em cada 15 minutos dá umas badaladas. Há uma eternidade de anos que não ouvia isto. Muito bucólico! Do mar das Caraíbas a tripulação Thor VI deseja-vos uma boa Páscoa cheia de amêndoas doces. Beijinhos e abraços.

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Daily Log - Caribe 06

Meus amigos a festa acabou a tenda está desmontada as despedidas estão feitas e não tem sido fácil. O Thor tem um guincho novo, finalmente e passou por uma revisão a algumas coisas essenciais. Também está reabastecido e pronto para reiniciar a "vida de mar". Hoje 20 Abr. vamos sair de Sta Lúcia para um fundeadouro a Norte de Martinica, amanhã seguimos para Los Saints e depois Antigua onde devemos chegar lá para o fim da semana, navegando só de dia e com toda a calma. Das Caraíbas beijinhos e abraços

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Uma espécie de diário da Patroa - 31

Santa Lucia - 15.04.2011 
Ultimam-se os preparativos para os festejos finais. Já aqui se encontram todos os barcos que vão cortar a linha de chegada e são 16 ao todo. Estão todos enfeitados com bandeiras e bandeirinhas e a excitação e as celebrações continuam. O sol voltou em força e o calor é insuportável. Consegue-se estar na piscina, dentro de água, e em poucos mais sítios. No fim da tarde há o ultimo “skippers briefing” para combinar os detalhes da partida de amanhã, em parada até Rodney Bay e à noite há um jantar mais formal no hotel. O dinghy já esta pendurado e está tudo a postos para a apoteose final.
Santa Lucia - 16.04.2011 
Os barcos começaram a sair da Marina de Marigot Bay as 10h, concentrando-se do lado de fora da baía, de onde partem, em parada, ate Rodney Bay. Foram ordenados pelo seu comprimento, pelo que somos o 2º barco, a seguir ao Eowyn sendo o último o Wild Tigris. O Destiny, que está imediatamente atras de nós, enfeitou-se com balões de todas as cores que, com o calor, vão rebentando acrescentando ainda mais barulho aos apitos e buzinadelas que saem dos diversos barcos. É um clima de grande festa que anda no ar. Depois da passagem pelo porto de Castries, a capital de Santa Lúcia, atravessámos a linha de chegada pelas 12:30 e chegámos a Marina de Rodney Bay onde está tudo preparado para nos receber. Em terra há bebidas e uns comes, juntamente com a musica de uma "steel orchestra" que veio abrilhantar a festa. Os skippers e respectivas tripulações cumprimentam-se e todos se congratulam com o feito da conclusão da volta ao mundo. E com excepção do acidente do Basia que apenas provocou danos na embarcação embora significativos, todos os outros regressaram sãos e salvos. Mas a tripulação do Basia também aqui está nos festejos, talvez mais comovida que os restantes pela incerteza ainda do futuro do seu catamaran. Ànoite houve jantar de distribuição de prémios num hotel junto à praia e foi o momento das celebrações e dos agradecimentos, aos navegadores pelo feito e à organização que esteve sempre muito bem durante estes mais de 15 meses. E no final houve a distribuição de um presente a cada um dos barcos, com palavras simpáticas e a propósito para cada um. Claro que ao Thor não deixou de ser recordado o esquecimento do dinghy em Musket Cove, nas ilhas Fiji, que ficou como uma das historias engraçadas que vão ficar nos anais desta volta ao mundo. 

Santa Lúcia - 17.04.2011 
Acabou a festa da Volta ao Mundo. Para o Thor ainda não acabou este périplo pois tem ainda pela frente a travessia do Atlântico Norte para regressar a casa. Para mim estão também a acabar as férias e já hoje regressarei a Lisboa pois amanhã é dia de voltar ao trabalho. Mas que bons que foram estes dias nas Caraíbas!

domingo, 17 de abril de 2011

Daily Log - Caribe 05

Eram 12:32 de 16 de Abril 2011 quando o Thor VI cruzou a linha de chegada em Rodney Bay no mesmo local onde às 12:00 de 06 de Janeiro de 2010 tínhamos iniciado este périplo. 15 meses e 10 dias depois e 26800 milhas percorridas voltámos a entrar na marina de Rodney Bay estava concluído o World ARC 2010/2011. Foi um dia de festa que começou em Marigot Bay depois um desfile náutico com passagem pelo porto de Castries depois muitos festejos, muita alegria e à noite uma bela festa de encerramento. Um bom final de uma inesquecível e fantástica aventura. Para nós o WARC é já uma boa recordação agora vamos voltar à rotina de levar esta nau a bom porto. A Sra. Armadora regressa hoje a Lisboa e nós vamos ficar aqui em Rodney Bay mais uns dias para reparar algumas pequenas coisas, seguindo depois para Antiqua e no início de Maio para Tortola para iniciar o ARC Europe esperando chegar a Lagos por volta de 16/17 de Junho. De Rodney Bay em Sta. Lúcia beijinhos e abraços.

Uma espécie de diário da Patroa - 30

Santa Lúcia  – 12.04.2011
Chegámos à Marina de Marigot Bay pelas 10h, estávamos apenas a cerca de 10 milhas de distância, onde a frota do WARC se vai concentrar e preparar para as festividades finais da volta ao mundo que começou em Santa Lúcia, Rodney Bay e ali vai terminar. Mas o Rui e mais 3 barcos vão continuar, agora no ARC Europe, para a travessia do Atântico e, assim, levarem os barcos para a Europa, enquanto os Americanos rumam a Norte e muitos outros barcos ficam por aqui pelas Caraíbas. Choveu praticamente todo o dia e o Sol nem chegou a descobrir, mas mantém-se o tempo quente e muito húmido. Este sítio é muito agradável, bem protegido, e como a marina faz parte do complexo hoteleiro de 5* aqui existente, temos acesso aos serviços do hotel como a piscina, bares, etc. Os barcos vão chegando ao logo do dia e portanto a principal actividade é a confraternização. E há-de ser assim até ao último momento, parece-me.
Santa Lúcia  – 13 e 14.04.2011
Mais 2 dias de preguiça e muita confraternização. O Rui e o Luca arranjaram a sanita que faltava, foram umas boas horas de trabalho, mas agora temos o Thor quase a 100%. Ontem ainda choveu, mas as nuvens foram desaparecendo durante o dia e ainda deu para uma bela tarde na piscina. Hoje está um calor tremendo e só na piscina se conseguia estar bem. A frota está cá já toda e um ssentimento de despedida circula no ar. Na 5ª feira fomos jantar com os Éowyn, Destiny e Brown Eyed Girl  a um excelente restaurante existente na outra margem da baía, Rainforest Hideaway, com transporte de barco privativo e jazz ao vivo, depois de uma breve passagem pelo cocktail de boas vindas oferecido pela Marina. Depois do jantar reunimo-nos a bordo do Tzigané para umas bebidas e umas horas de conversa. Na 6ª feira tivémos uma festa “Creole Party” oferecida   pelas autoridades locais e depois umas bebidas a bordo do Kalliope, tendo a noite terminado mais uma vez no Tzigané. Como se vê, uma vida muito complicada!  

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Uma espécie de diário da Patroa - 29

Bequia  – 10.04.2011
Que miséria de dia! Choveu intensamente de manhã até à noite, embora digam que não seja comum para esta época do ano, e logo hoje que tínhamos combinado fazer um Tour pela ilha. O pior é que só começou a chover depois de termos negociado o preço e de nos termos instalado na parte de trás da pick-up para começar o passeio. A caixa aberta da pick-up tinha umas lonas a fazer de cobertura, mas a chuva era tanta que entrava água por todos os lados e claro que ficámos todos molhados. Entretanto a visibilidade também era muito reduzida, o que prejudicou aquilo que talvez de melhor a ilha tinha para oferecer que seriam umas belas vistas do topo da montanha sobre o mar. Ainda passámos por uns pequenos povoados com um ar bastante pobre, mas com as casa pintadas de cores muito variadas e garridas, e por uma igreja onde os cânticos da missa de domingo se ouviam à distância. A saída da missa também é um espectáculo aqui nas Caraíbas, pois os homens e as mulheres, sobretudo elas, vestem-se esmeradamente para o evento. E é vê-las de chapéu na cabeça e vestidos de toilette, alguns compridos, como se retiradas da cena de um filme de há 50 anos. O dia acabou com umas bebidas a bordo do Éowyn e depois de alguma dificuldade em conciliar vontades e gostos diferentes, acabámos todos a jantar num restaurante mexicano, mas que foi um fiasco!
Santa Lúcia  – 11.04.2011
Com o check-out feito já desde ontem de manhã, a alvorada foi às 5h30 pois a partida estava acordada para antes das 7h00 e ainda havia que subir o dinghy e o motor, o que para além de algum esforço demora algum tempo e tomar o pequeno almoço, antes de rumarmos a Santa Lucia com paragem prevista nos Pitons, a cerca de 50 milhas de distância. Felizmente quase não apanhámos chuva, parecia que vínhamos a correr à frente da chuva, e fundeámos nas Pitons ainda com sol.  Assim ainda deu para um tomar um banho e fazer algum snorkel nesta bela baía rodeada por 2 altas montanhas  cobertas de densa vegetação que caiem a pique sobre o mar e que são a imagem de marca de Sta Lúcia. Um espectáculo belo e um pouco esmagador. À hora de jantar começou a chover e nunca mais parou de chover intensamente durante toda a noite! "Porca miséria"

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Daily Log - Caribe 04

Um dia inteiro de chuva, foi o que nos aconteceu hoje 10 Abr. Começamos o dia com o check-out de SVG (S. Vincent e Grenadines) pois amanhã partimos para Sta. Lúcia. Vamos um dia mais cedo pois isto aqui por Bequia, está visto e assim ainda vamos fundear um dia nos Pitons antes de ir para Marigot Bay. Não devia ser assim porque devíamos fazer o check-in antes, num porto de entrada, mas ... Depois da papelada feita fizemos um tour a esta pequena ilha - 7 milhas quadradas - mas entretanto começou a chover e foi um fiasco, mas a Sra. Armadora vos contará. E desde aí choveu todo o santo dia praticamente sem parar, o que não é normal nesta altura do ano. Amanhã vamos sair bastante cedo, aos primeiros alvores porque ainda são cerca de 40 milhas e como é costume, com tudo contra. Entretanto por aqui têm chegado os restantes barcos do WARC e a pergunta que anda no ar é, "... and now?" Eu sei que para mim ainda faltam um bom par de milhas e que a próxima etapa é o ARC Europe que começa a 05 de Maio de Tortola. Depois logo se verá! Mas para já, cuidem-se.

domingo, 10 de abril de 2011

Uma espécie de diário da Patroa - 28

Bequia  – 7.04.2011
Partida de Tobago Cays bem cedo com destino a Bequia, esperando-nos uma tirada de 25 milhas. O vento continua forte e como rumamos a Norte apanhamo-lo quase de frente o que não ajuda nada. Chegámos a Bequia à Admirality Bay ao meio da tarde, uma grande baía, bem abrigada e de águas transparentes. O Éowyn já tinha negociado o preço da nossa bóia e, mal chegámos, começam a parar junto a nós diversos barcos  de locais oferecendo os seus serviços: lavandaria, água, pão, peixe ou lagostas, fruta e sei lá que mais (tem sido assim em todos os locais onde temos parado nas Caraíbas) pois cada barco tem a sua especialidade. Usámos só o serviço de lavandaria, com roupa recolhida e entregue no Thor. Um luxo! Ao fim da tarde junto com os Éowyn fomos jantar ao Frangipani, um barbeque, onde tinha sido reservada uma mesa para comemoração do aniversário do Bob, um médico Americano que viaja no Éowyn desde a África do Sul. Entretanto encontrámos o Sandro e a Lisa do Lady Lisa que tinham chegado a Bequia no dia anterior e que se juntaram à confraternização. O jantar foi abrilhantado por uma “steel orchestra” e, no final, o Sandro e a Lisa ficaram a dançar, e são bem mais velhos que nós!!! enquanto os restantes recolheram aos seus barcos.
Bequia  – 8.04.2011
Esta baía é mesmo muito abrigada e, pela 1ª vez desde há muito, o Thor esteve sossegado durante toda a noite. Pela madrugada ainda caíu um grande aguaceiro, mas durante o dia o céu esteve sem nuvens, o calor é bastante intenso, cerca de 30/32º e a humidade superior a 80%, aliás como tem acontecido na maior parte dos dias em que por aqui tenho andado. Durante a manhã fomos fazer o reconhecimento da capital da ilha, Porto Elisabeth, cujo casario, barracas e tendas espalham-se ao longo da baía. Para além da chamada marginal, pouco mais ruas há, mas encontra-se aqui de tudo desde um mercado de frutas e vegetais aberto todo o dia, vendedores espalhados pelas ruas, supermercados locais e até uma loja gourmet, várias lojas e oficinas de equipamento náutico e restaurantes e bares para todos os gostos, desde os mais simples aos mais requintados. Mais uma ilha pequena, com cerca de 5.000 habitantes, que vive à base dos yachts que por aqui passam. O Rui ainda conseguiu arranjar o motor do dinghy, encher 2 garrafas de gás pois já estávamos a usar a última mais pequena (depois de retirada a ferrugem e pintadas de azul, foram finalmente aceites para enchimento) e para amanhã de manhã está marcada uma inspecção ao guincho eléctico do ferro que deixou completamente de funcionar. À noite o jantar foi no Mac`s, uma pizzeria mais ou menos elegante, onde comemos uma sopa de calalloo com marisco (calalloo é a rama de um tubérculo aqui existente) e uma pizza de lagosta (?!) que não estavam mau de todo. E assim se passou mais um dia.
Bequia  – 9.04.2011
Hoje foi um dia de preguiça. Revisão do guincho - sem sucesso - um pequeno aprovisionamento em terra, compra de mais uma lagosta e jantar da dita a bordo. Entretanto os restantes barcos do WARC têm chegado também a Bequia e são já 10 os que por aqui se encontram. O final desta maravilhosa odisseia aproxima-se do fim. Inevitavelmente!

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Uma espécie de diário da patroa - 27

Granada – 2.04.2011
Partida pelas 10h00 para a ilha de Carriacou, 35 milhas de distância. Antes o Graham e o Rui foram a terra fazer o check-out pois íamos entrar noutro país, St Vincent and Grenadines. No percurso apanhámos muito vento e correntes contra e chegámos a Tyrrel Bay em Carriacou às 18h30, já noite fechada. Foram as precisas e preciosas instruções do Graham que nos conduziram até ao meio da baía sem problemas e aí largámos ferro.
Carriacou – 3.04.2011
A alvorada no Thor é todos os dias bastante cedo e pelas 8h00 estamos habitualmente a tomar o pequeno almoço ( nos dias de viagem por vezes ainda é mais cedo), o que nos permite fazer muitas coisas num só dia, como hoje aconteceu. Logo pela manhã comprámos uma grande lagosta, teria bem mais de 2,5 Kg, e tivemos que usar de algum engenho para a conseguir cozer no equipamento que tínhamos (os nossos vizinhos também não tinham panelas maiores que as nossas). Depois fiz um bolo de chocolate pois era o aniversário do Mike. Ainda durante a manhã a Jenny e o John do Tzigané, ingleses que entraram em Bali para completar a volta ao mundo, vieram tomar café a bordo e pelas 12h00 rumámos a terra onde apanhámos um táxi, do Thomas, que nos levou ao restaurante – The Round House -  onde o Graham tinha feito a reserva para o almoço. O restaurante ainda era longe, situava-se numa colina sobre o mar, e tinha uma vista esplendorosa. A qualidade do restaurante foi também uma surpresa nesta ilha pequena, pouco habitada e muito pouco turística. Depois do almoço o Thomas levou-nos a dar uma volta pela ilha enquanto ia explicando a sua história e, sobretudo, os poderes medicinais de algumas plantas e árvores existentes na ilha e de quando em vez parava para colher uma pernada ou um fruto e, ao fim da tarde regressámos ao barco. O almoço tinha sido muito bem servido pelo que para o jantar, éramos os 6 do Éowyn e do Thor, servi apenas uma salada de lagosta que estava mesmo muito boa (a lagosta era excelente). E assim acabámos a comemoração do aniversário do Mike com o bolo de chocolate e a garrafa de Vinho do Porto que lhe tínhamos oferecido!
Union Island – 4.04.2011
Partida cedo em direcção a Union Island – a cerca de 6 milhas de distância – e fundeámos em Clifton Bay , uma baía bem protegida por um recife de coral. O objectivo era irmos ao aeroporto (uma pista muito pequena que serve todas as ilhas aqui à volta) fazer o check-in, o local onde é mais simples este procedimento pois as autoridades estão todas no mesmo edifício.  Depois ainda démos uma volta pela vila onde há supermercados, lojas de artesanato e tendas com muita fruta variada e colorida, e até uma loja Gourmet para abastecimento dos barcos. É toda uma população a viver dos barcos que por aqui passam. Depois rumámos a Chatham Bay, uma baía na outra costa da ilha com uma grande prais de areia e onde existem 6 restaurantes depois de ter sido construída uma espécie de estrada a ligar a aldeia a esta praia. Fomos jantar no restaurante mais sofisticado, Acqua, onde existia um ancoradouro para os dinghys e resto parecia uma cena de um filme: 2 tendas, uma a servir de bar e outra de restaurante, uma piscina a meio, mesas e cadeiras de bambu, uma apresentação requintadíssima, uma localização quase em cima do mar e com uma vista  esplenderosa com um pôr do sol como que de encomenda. E éramos os únicos no restaurante - o Éowyn e o Thor VI, claro - e a sopa de lagosta estava a condizer. Uma verdadeira maravilha!
Mayreau – 5.04.2011
Partimos bem cedo para uma nova ilha, Mayreau, onde nos esperava um programa muito completo. A frota do WARC estava ali quase toda reunida, 14 barcos, pois todos tinham sido convidados para o casamento do Jim com a Annie. É verdade, um casamento na frota do WARC! O Jim é o proprietário do Ocean Jasper, um Sundeeer 60 americano, e ao passar pela Austrália encontrou a Annie, a gerente de uma boutique de artigos náuticos em Mackay. Apaixonaram-se, ela deixou tudo para o acompanhar, fizeram a festa de noivado no Brasil e marcaram o casamento para esta ilha. A cerimónia foi numa igreja católica, celebrada por um padre católico que se disponibilizou para fazer o casamento e foi muito serena, mas muito interessante e com uma bela homilía a celebrar a vida e o amor. Os noivos estavam completamente apaixonados e levando o momento muito a sério, o que não é de admirar pois o Jim tem 63 anos e a Annie não lhe deve ficar atrás. O casamento tinha de tudo o que os americanos gostam, damas de honor com vestidos compridos iguais, os “best man” alinhados na 1ª fila - mas de calções e tea-shirts - pétalas de flores sobre os noivos e balões e bolinhas de sabão, enfim uma festa completa. Seguiu-se uma celebração com champanhe na área circundante da igreja que, situada mesmo no cima de uma colina, tinha uma vista soberba sobre as ilhas à volta e os recifes de corais que as circundam. Um deslumbramento! Depois houve uma recepção oferecida pelos noivos num dos restaurantes da aldeia, o Dennis Hideaway, com comes e bebes, música, discursos e cantoria que durou toda a tarde. Tudo muito sentido, muito emotivo, com toda a gente muito alegre e bem disposta. Para acabar o dia, seguiu-se uma nova festa, mais uma, um "BBQ" no mesmo restaurante, para comemoração do aniversário do Jochem do Chessie (tinha feito 63 anos há uma semana). A festa com música e dança prolongou-se pela noite fora. Um dia completamente inesperado mas muito, muito curioso!
Tobago Cays – 6.04.2011
Mais uma vez partida bem cedo, agora com destino a Tobago Cays um grupo de pequenas ilhas desertas, protegidas do mar por uma barreira de recifes de coral, com praias de areias claras e águas transparentes e onde a água do mar se apresenta como um caleidoscópio de cores. Era esta a vista deslumbrante que se observava do adro da igreja em Mayreau, uma zona de reserva natural protegida, onde abundam as tartarugas e muitos outros peixes. Fizémos snorkel e eu consegui ver 3 tartarugas já grandinhas e vários outros peixes de que não sei o nome.  Apesar de estar cheio  de barcos, isto é muito bonito, mas a noite foi menos agradável, pois o vento aumentou, houve ainda uns aguaceiros, e talvez por estarmos numa zona de correntes, passámos a noite aos saltos no barco. Um desassossego!

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Daily Log - Caribe 03

Meus caros amigos e amigas, continuamos nas Caraíbas agora já mais perto de Sta. Lucia, mais propriamente em Bequia. Depois de Prikly Bay fomos até Carriacou festejar os anos do Mike do Eowyn. No dia seguinte fomos para Union Island, no porto de Clifton para fazer o check-in para as GSV (Grenadines & S. Vincent) no aeroporto, truque do Graham que tornou a formalidade muito fácil e rápida. Depois e com todos os papeis em ordem seguimos para Chatman Bay para passar a noite. Tudo isto com muita paciência pois o vento, o mar e as correntes apontam para Sul, logo quem vai para Norte tem de comer o pão que o diabo amassou. A noite foi iniciada num fantástico restaurante "Ácgua", um luxo inesperado com muita qualidade, mas carote. Em compensação deram-me uma amarração grátis para a noite, o que deu bastante geito porque o motor do guincho do ferro entregou a "alma ao criador" julgo que de vez, sendo agora tudo feito à mão. Mesmo assim foi uma noite muito movimentada porque o pobre do Thor não parou quieto um instante. Na manhã seguinte fizemos mais 4 milhas e fomos para Mayreau, para o casamento do James do Ocean Jasper mas destes assuntos falará a Sra. Armadora no seu espaço porque tem mais graça que eu. Na manhã seguinte depois de todas as festividades e foram muitas bem agradáveis e regadas andámos mais um par de milhas e fomos arejar para Tobago Cays uma zona protegida onde há, acima de tudo, tartarugas. Entre "snorkel" e sonecas foi um dia bem descansado. O mesmo não se pode dizer da noite porque choveu bastante e fez muito vento tornando o Thor num berço por vezes bem violento. De manhã e bem cedo fizemos rumo a Bequia - eram apenas 25 milhas mas, mais uma vez contra tudo - onde chegámos pela hora do almoço e bem amassados.  Agora vamos ficar por aqui uns dias - o Graham/Eowyn diz maravilhas desta zona, há wifi - uma novidade por aqui - e hoje é o aniversário do Bob/Eowyn - e depois daremos um ultimo salto até Marigot Bay para os festejos finais do WARC. Das Caraíbas beijinhos e abraços.

Uma espécie de diário da Patroa - 26

Granada – 1.04.2011
Mais um dia em Prikly Bay, hoje com um programa diferente. De manhã, ida ao Supermercado. Vai-se de dinghy até ao estaleiro e aí apanha-se um taxi, negociando previamente o preço da viagem de ida e volta. Os taxis são uns pequenos autocarros de 8/10 lugares, iguais aos autocarros, com a única diferença de que estes são obrigados a ter um ajudante para além do condutor, para abrir a porta e cobrar os bilhetes. Foi uma medida decretada há muitos anos para combater o desemprego e ainda continua a funcionar. O supermercado era excelente, tanto em termos de variedade como da qualidade dos produtos , embora tivesse algumas falhas pois o navio semanal de abastecimento da ilha ainda não tinha chegado (não conseguimos comprar batatas). No regresso e antes de voltarmos ao barco, almoçámos no restaurante junto ao estaleiro, De Big Fish. Pelas 17h30 estávamos de novo neste restaurante, pois tinha sido o ponto de encontro combinado com os Éowyn para o programa da noite, um Fish Friday. Fomos de taxi até Gouyave, percurso que demorou quase 1 hora, e que é uma aldeia de pescadores onde todas as 6ª feiras montam umas tendas na rua e as mulheres dos pescadores confeccionam e vendem diversos pratos de peixe. Muito curioso! Havia fritos de peixe, camarões de diversas maneiras, peixe assado e frito, lagosta grelhada e muito mais. Tudo tinha um aspecto muito limpo e organizado e havia muita gente a deambular pelas tendas e a comprar um pratinho de cada especialidade. Depois ainda assistimos a uma performance de uma Steel Orchestra  (eram 27 músicos a tocar em bidons de metal e outros aparelhos feitos a partir dos bidons). Muito interessante e com uma musicalidade espantosa. O regresso estava marcado para as 20h30, mas ainda tivémos que esperar cerca de ½ hora pelo nosso taxista que estava a jogar uma partida de damas, sentado junto ao taxi, e tivémos que esperar que ele a acabasse para partirmos. Aqui a vida passa-se neste ritmo, é tudo muito relaxed! Enfim, foi uma noite muito bem passada!

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Uma espécie de diário da Patroa - 25

Granada – 30.03.2011
Aqui estou de novo no Thor, agora em Granada, nas Caraíbas. A viagem de Lisboa até aqui correu bem apesar do atraso de quase 1 hora em Lisboa que ia pondo em risco a ligação para Granada, o que acabou por não acontecer, mas por muito pouco e mau grado o dia comprido –agora aqui são menos 5 horas – e as muitas horas de avião - parti de Lisboa no sábado 26 de Março, no voo das 07:05 para Londres e cheguei a Granada às 18:35 locais. O Rui estava à minha espera no aeroporto para me levar até à Marina de Port Louis onde comecei a reencontrar a gente do WARC que tinha deixado há 6 meses atrás em Bali. Sou muito bem recebida pelo “bando” que agora é quase uma família, partilhando alegrias, riscos e desafios há mais de 1 ano em conjunto. O Thor estava razoavelmente apresentável e o Rui e o Luca tinham feito um grande esforço para me receberem o melhor possível. A partir daí ainda não parei, ou antes, hoje é o meu 1º dia de descanso. No Domingo começámos por fazer um Tour durante todo o dia à ilha. Como tem chovido bastante, embora estejamos na estação seca, está tudo muito verde e pujante. A ilha foi bastante destruída por furacões há cerca de 6/7 anos, mas está praticamente toda reconstruída, sendo poucas as habitações que se vêem ainda danificadas. O mais curioso é a explosão de cores que se destaca na paisagem, as cores garridas das casas e das flores que as circundam, no meio do verde luxuriante da vegetação tropical. Visitámos uma destilaria de rum e uma fábrica de chocolates, ambas completamente artesanais e que representam produções importantes da ilha. Para além disso também é famosa a noz moscada, o 2º produtor mundial, a fruta tropical variada e outras especiarias, sendo esta ilha chamada, por essa razão, a “Spice Island”.  À noite foi a festa da distribuição de prémios onde o Rui e o Luca foram receber os prémios do 1º lugar da geral e da sua categoria, uma tea-shirt para cada um e uma rodada de rum punch. Na 2ª e na 3ª feira os dias foram inteiramente dedicados às limpezas e às pequenas reparações das coisas que vão aparecendo sem funcionar. E parece que cada dia há uma nova.... O novo tripulante do Thor, o Luca, tem sido uma agradável companhia. É muito educado, discreto, sabedor destas coisas dos barcos e do mar e é italiano!
A Marina de Port Louis é muito simpática e tem excelentes instalações, mas o destino é rumarmos a Norte até Santa Lucia e assim, na 4ª feira partimos em direcção a Prikly Bay, uma grande baía no Sul de Granada e que é a base permanente do  Eowyn desde há anos.  E como o Graham conhece muito bem as Caraíbas, vamos seguir as suas indicações e continuar juntos. Ao jantar o Mike e o Graham foram nossos convidados e fiz bacalhau com natas (encontrei  bacalhau salgado do Alaska no supermercado onde nos fomos abastecer) que apesar da improvisação na receita foi muito elogiado e não sobrou nada!
Granada – 31.03.2011
Hoje foi o meu 1º dia de  “dolce fare niente”  (para o Rui ainda foi uma manhã inteira de trabalho, mas ficámos com a nossa sanita a trabalhar na perfeição).  Acordar, tomar o pequeno almoço, ir a terra de dinghy onde almoçámos, voltar para o barco, tomar banho nas águas quentes deste verde mar (a temperatura da água do mar está nos 28,5º) e depois jantar tendo sido o Luca o cozinheiro. Foi assim o meu dia. O Luca ontem fez “pasta a la carbonara” mas de uma maneira que eu não conhecia. Estava muito bom.

Thor VI - Avarias e esclarecimentos

Meus amigos e companheiros está na altura de “por o nome nas coisas” ou melhor, não é bem isto que si costuma dizer mas como não quero ferir sensibilidades, fica assim.  No primeiro semestre de 2009 e na preparação para o WARC  decidi substituir o aparelho do Thor que já tinha 22 anos. Para isso e apesar das várias consultas, optei pela adjudicação do trabalho à “JustBoats” do Peter Keeping por ser o representante da Seldén e eu querer que o material utilizado tivesse a qualidade Seldén. No fim de Maio o trabalho foi finalmente concluído, após uns atrasos e enganos do Sr. Pete e com a montagem feita pelo Jorge Rainha.
A cerca de 100 milhas de Sta Helena e a 1800 de Salvador o terminal superior do estai real partiu, danificando o enrolador da genoa que ficou preso pela adriça. Das várias opiniões que recebi das pessoas que examinaram a peça fracturada – uma fractura a 90º - resulta claro que a peça foi mal manuseada quando da prensagem apresentando sinais inexplicáveis de pancadas na parte superior do terminal.  
Quando informei o Sr. Pete da situação (em 08 Fev) a primeira reação foi de que usáva o material e a máquina aconselhada pela Seldén e pedia fotos das peças envolvidas. Após vários e-mails, alguns repetindo o que já tinha sido dito e já com a Seldén envolvida no assunto, e com todas as fotos possíveis e imaginárias disponíveis – tenho a certeza que não via todas as fotos que chegavam porque continuava a pedir fotos que já tinha – concluíram que afinal a peça não era Seldén mas sim Stalok. Isto a 15 Fev.
O e-mail da Seldén dizia: 
Dear Mr. Soares, Thank you for the last pictures of the broken eye terminal, it is crystal clear this is not a Seldén terminal and it has never been in our stock.
O Sr. Pete dizia : 
Hello Rui, Thank you for the photos. The terminal is from Sta-lok. I will contact them immediately, and get back to you. Thank you. Pete.
Como devem imaginar a minha surpresa e preocupação aumentou. Afinal eu tinha um aparelho que suponha ser Seldén, pago como Seldén – a factura comprova isto – por um “representante” da Seldén e que afinal não era Seldén. E isto no aparelho do barco talvez o componente mais sensível.
As reações do Sr. Peter Kemping variaram desde uma grande preocupação e sensibilidade profissional:   (17Fev) I have been reading your e mail several times, and not slept most of the night, as I do have a conscience! I have been going through our procedures, and asked the people who were working with me at the time. We try to be as thorough as possible, when we carry out this work, as we are fully aware of the consequences. The terminal in the picture is NOT a Selden terminal, so Selden are not responsible for this. It is a Stalok terminal. I am still trying to figure out how it got there, but I can only conclude that the Stalok terminals were put into the Selden box, and they were used. Rui, I want to resolve the problem. I am not running away. If I did not want the problem resolved I would not be sending you e mails. I cannot afford to have this problem as I have had, up until now, a “clean bill of health” and this is very worrying for me. I also cannot financially afford this problem, so I desperately want to resolve this quickly and as cost effectively as possible;
Até uma tentativa de ganhar tempo ou alijar responsabilidades:
(22Fev) Hello Rui, Thank you for the e mail, and the photos. I understand that you have time constraints and would like to have this resolved, as I would also. I have been trying to collate all the information together, so we can assess the whole situation. Do you have a copy of the surveyors report from the insurance company of the damage?. 
Entretanto pedia mais fotos, propunha mandar-me peças para o enrolador antigo, quando sabia que eu já tinha decidido importar um novo e não aceitou qualquer hipótese de acordo que lhe foi proposto – comparticipação nos custos da reparação – mas estando disponível para “negociar” com a companhia de seguros, tendo abusivamente contactado a Pantaenius para saber se eu estava seguro lá.
Dizia ele : Normally in this circumstance the insurance company would deal with the rigging company to get compensation. Ainda não percebi bem este interesse em negociar com a seguradora!
Evidentemente que quando chegar a Lisboa ou mesmo antes vou querer ser ressarcido dos prejuízos que tive e pelas despesas extras que fui obrigado a suportar e isto pelo sr. Peter Keeping que considero responsável por tudo o que me aconteceu e profissionalmente pouco credível.
Em resumo meus caros amigos e companheiros se utilizarem material Seldén e os serviços da “Justboats” cuidem-se porque pela minha experiência não é certo nem seguro que o recibo que pagam ou aquilo que vos dizem corresponda à realidade. E atenção porque o Sr. Peter Keeping também é, segundo o seu site, importador oficial da Andersen, Holmatro, Ronstan e Sta-lok. Cuidem-se. Á atenção da ANC e da Tertúlia Vélica. Depois não digam que não os avisei.

Daily Log - Brasil ainda

Julgo que a passagem pelo Brasil merece mais alguma reflexão. Disse-o antes de chegar que, por razões várias, o nível de expectativa era baixo ao contrário do que tinha para a Austrália que acabou por ser uma desilusão. Hoje retenho do Brasil ou de Salvador e Recife- este muito ligeiramente pelo pouco tempo - um misto de sentimentos. Se por um lado conheci gente muito agradável e simpática e alguns locais fantásticos - Recôncavo, Cachoeira Morro de São Paulo - por outro tive de resolver um "milhão" de problemas resultantes da falta de profissionalismo e de uma irritante superficialidade com que tudo, parece, é encarado. Ainda hoje estou à espera que os recibos e os papeis dos trabalhos que foram feitos no barco me cheguem. E, mais grave ainda, a opinião geral na frota do ARC é bastante má quanto à qualidade da estadia em Salvador e Recife, em particular de alguns pseudo-profissionais que se serviram da nossa estadia. É pena que o esforço das autoridades que apoiaram e investiram na nossa passagem pelo Brasil seja prejudicada pela actuação destes "artistas menores". O nome desta gente é conhecido e será devidamente assinalado nos papeis que o WARC disponibiliza para que tal gente não volte a ter a mesma oportunidade. Mas não são só de desgraças a minha passagem pelo Brasil pois ainda tenho aqui no barco (quase no fim!) o maravilhoso doce de pimentão da Dona Manuela, ainda recordo um fantástico doce de caju - e eu que não sou nada de gulosices - e uns fantásticos sumos naturais em que o Brasil é rico. Apetece-me dizer que pena, mas para ser um grande país, não basta ser grande. Aos meus amigos brasileiros os meus agradecimentos pela hospitalidade e simpatia com que me trataram. Se cuida, viu. Tranquilo

Daily Log - Caribe 02

Depois de uma semana de marina, decidimos começar a andar e viemos fundear em Prikly Bay na costa Sul de Grenada. É uma baía bem protegida - e tem estado um vento bem desagradável - mas tem muitos barcos e é pouco interessante. Vale pela diferença de estar fundeado e estar na companhia de mais alguns barcos do WARC. Estamos nitidamente em descompressão a caminho de Sta. Lúcia. A Sra. Armadora está em adaptação e proximamente há-de dar notícias, não desanimem mas tem havido pouco "movimento". Temos também feito alguma manutenção ao barco pois nos últimos dias uma série de pequenas coisas tem-nos moído a paciência - uma bomba de água com fuga, uma sanita pouco colaborante, um gerador "maniento" - exigindo algum trabalho. Temos conseguido dar "conta do recado", o que com quase dois anos de experiência não admira, mas temos estado bastante ocupados. Das Caraíbas beijinhos a abraços.

segunda-feira, 28 de março de 2011

Daily Log - Brs/Grn Final

Meus caros amigos e companheiros em resultado de uma opção algo arriscada mas bem pensada, o Thor VI voltou a ganhar. A decisão de fazer uma rota tão perto da costa quanto possível pagou bem a atenção e o trabalho a que nos obrigou. Fizemos menos milhas, apanhámos um vento mais estável e com melhor ângulo e uma corrente muito favorável e forte, talvez pela fase da lua, que nos "deu" singraduras, por duas vezes, superiores a 200 milhas/dia coisa que só tínhamos conseguido na costa Sul africana. Terminou em beleza o WARC 2010/11. Agora vamos "passear" até Marigot Bay (14Abr) e depois Sta. Lucia/Rodney Bay (16Abr) onde termina formalmente este  WARC. Depois disso seguimos para Antigua, para a Week Race, na ultima semana de Abril e depois para as British Virgin Islands/Nanny Cay Marina de onde parte o ARC Europe a 05 de Maio com destino a Lagos mas com passagem e paragem nas Bermudas e Açores. Cuidem-se.

domingo, 27 de março de 2011

Dayli Log - Sono Luca

Conforme é da tradição tenho aberto este forum aos meus parceiros de viagem para o que bem entenderem. Desta vez é o Luca Campana meu parceiro desde o Recife e que me vai ajudar até Portugal. É um profissional da náutica, bastante experiente, conhecedor dos princípios da arte teve uma rápida adaptação ao barco pelo que temos feito uma parelha excelente. Então diz ele:
Ciao a tutti, sono Luca e faccio parte dell’ equipaggio di Thor VI da quando abbiamo lasciato Recife per raggiungere Grenada. Che dire....tutto e’ accaduto in maniera alquanto improvvisa ed accidentale....l’infortunio del coskipper di Rui, il mio periodo sabbatico con conseguente vagabondaggio in terra brasiliana, l’incrocio con il percorso della world arc, un cartello lasciato nell’ufficio del marina e poi una mail, due chiacchiere col capitano e pronti via !! Una follia....puo’ darsi ma per ora tutto sembra procedere per il meglio e niente ci impedisce di sognare nuovi ancoraggi ed altre lunghe navigazioni ......chissa’ magari fino in Portogallo.